Cachorro pode comer fígado?




Está pensando em mudar a alimentação do seu pet e ainda não sabe se cachorro pode comer fígado ou não? Então, pare tudo o que você está fazendo!

Nesse post, você vai conferir tudo sobre este alimento na vida dos peludos e como exatamente pode ser um tutor ainda melhor, oferecendo comida de alta qualidade para que o cão viva melhor.

Vale destacar ainda que existem diversos mitos quando o assunto é alimentação natural para cães, sendo essencial buscar conhecimento em fontes realmente confiáveis.

Cachorro pode comer fígado?

Cachorro pode comer fígado

Uma das realidades da vida dos animais de estimação, é que existem uma série de mitos e histórias que os tutores escutam por aí, e que podem ou não comprometer a qualidade de vida dos peludos.

Isso acontece porque, inicialmente, os cães eram considerados apenas como animais carnívoros, por serem descendentes dos lobos.

Por outro lado, muitos estudos foram desenvolvidos e, hoje, sabemos que os pets estão cada vez mais distante desse “parente animal”.

Além do mais, tivemos o surgimento das rações.

Dessa forma, a forma como nos relacionamos e alimentamos os pets mudou muito nos últimos anos e, agora, o tema da vez é alimentação natural.




A alimentação natural para cães ganhou destaque porque apresenta vantagens impressionantes para a vida do animal.

Mais importante que isso, pode ser facilmente adaptada para todas as fases da vida.

Bom, para responder à pergunta que dá título a esse post, apresentamos a opinião de duas veterinárias altamente renomadas: Dras. Natalia Cassaro, Clínica Seres, e Matina Rodrigues, da Pet Experience.

Ambas afirmam: o cachorro pode comer fígado.

Entretanto, para oferecer esse alimento rico em nutrientes para os peludos, é essencial cozer muito bem a carne.

Benefícios do fígado para saúde dos cães

Benefícios do fígado para saúde dos cães

De maneira geral, o fígado é um alimento riquíssimo em vitaminas e que contribui com a saúde geral dos animais.

Isso porque, tem boas doses de vitaminas (A, D e K), proteínas, fósforo, ferro e outros minerais.

Na prática, isso significa que repõe esses nutrientes no corpo do animal, melhorando o funcionamento metabólico.

A partir disso, melhora o aspecto do pelo, evita reações alérgicos, melhora o funcionamento intestinal e muito mais.

De acordo com as duas especialistas, o alimento pode ser essencial na saúde do pet, desde que oferecido de forma controlada.

Existem contraindicações?

Sabendo que o cachorro pode comer fígado, surge a dúvida: existe algum problema?

No geral, contraindicações só podem acontecer em casos muito específicos, quando o cachorro apresenta algum tipo de reação ou alergia ao alimento.

Por outro lado, existe um cuidado básico, que se refere a quantidade.

Isso porque, fígado em excesso pode causar problemas para o animal, como a intoxicação.

Neste cenário, o pet pode apresentar uma série de sintomas, como diarreia, vômitos, taquicardia, dores abdominais e muito mais.

Ou seja, você pode e deve dar fígado para o seu cachorro, mas deve fazer isso seguindo as recomendações do seu veterinário, respeitando a quantidade ideal para o porte do seu pet.

Como o cachorro pode comer fígado

Como o cachorro pode comer fígado

Agora que você já está por dentro do assunto, é válido saber como dá para oferecer esse alimento para os peludos, não é mesmo?

Assim, a primeira e mais importante regra da alimentação natural é nunca oferecer o fígado cru para os animais.

Em síntese, essa carne deve sempre ser muito bem cozida e sem a adição de nenhum tempero.

Ao mesmo tempo, não é indicado oferecer o fígado misturado com a ração, caso o seu pet tenha essa refeição no dia-a-dia.

Isso porque, as porções de ração são fabricadas para oferecer os nutrientes que o animal precisa. Logo, misturar, pode causar um excesso, gerando alergias e outras reações.

Dessa forma, se você está começando a alimentação natural agora, pode oferecer uma refeição seca, apenas ração, e outra natural, para que o pet vá se acostumando.

A segunda regra é que o fígado nunca deve ser a proteína principal do pet, sendo referente a apenas 5% do prato.

Ou seja, uma porção bem pequena.

Justamente por isso, e para evitar a intoxicação, a dica das especialistas é oferecer fígado, no máximo, três vezes na semana, sempre em dias alternados.

Uma dica especial é variar na procedência. Isso porque, o fígado de boi é mais aconselhável para os pets, mas o de frango tem uma porcentagem menor de colesterol.

Então, ofereça na proporção 2/1, ou seja, duas vezes na semana o de boi e uma vez o de frango.

Outros fígados não são recomendados para pets.

Cozinhar ou não o fígado?

Cozinhar um alimento para dar ao pet não se trata apenas de um hábito voltado para facilitar a rotina, evitando que o cachorro fique sujo, mas também para garantir a qualidade da refeição.

Isso porque, muitas vezes, não temos certeza se a carne é realmente nova e limpa.

Lembrando que, carnes crus, podem conter parasitas, o que prejudica a vida do animal.

Sendo assim, a dica de ouro para preparar o fígado é congelar totalmente o alimento.

Depois, quando for prepara-lo, deixe descongelar naturalmente e cozinhe bem, apenas com água limpa e sem nenhum tempero.

O tempo de cozimento varia de acordo com a porção, sendo indicado preparar apenas a daquela hora, para não deixar na geladeira por vários dias.

Depois de cozido, pique em pedaços menores, para facilitar a vida do peludo e também para evitar que ele acabe engasgando.

Quer uma dica extra?

Então, coloque um dente de alho na panela, na hora de cozer o fígado.

O alho é antiparasitário e pode ajudar a melhorar a qualidade da carne, mas não deve ser oferecido ao pet.

Como saber a quantidade?

Para saber a quantidade exata de alimento natural que você pode dar para o seu pet, a recomendação é procurar um veterinário.

Entretanto, existe uma medida base que também dá para ser seguida.

Por exemplo, para cachorros de até dez quilos, Gemma Knowles afirma que é possível dar até 120 gramas de fígado para cada porção.

Já para cães de até cinco quilos, essas gramas caem para 50 ou menos.

Vale destacar ainda que você pode usar o fígado como um complemento, ou seja, dando porções pequenas em meio a outras carnes.

Enfim, ainda ficou com alguma dúvida? Comenta aqui embaixo.

Aproveite também para compartilhar as suas dicas e experiências com nossos leitores ou o que mais gostaria de ver aqui na página.

Grande abraço e até o próximo post!

Obrigado por ler até aqui.

Por favor, deixe-nos saber se perdemos algo na seção de comentários abaixo.

Além disso, por favor, curta e compartilhe este artigo, se você gostou.

E não se esqueça de se inscrever em nosso canal no YouTube❤

siga-nos no Instagram🙏

E no Facebook também😀

Conheça nossos livros de receitas para cães: 🍏🐕

↪↪ Receitas de comida saudável para cães

↪↪ Receitas de biscoitos para cães

Muito obrigado pela visita e até a próxima dica de saúde canina ou receitinha para nossos peludos. 🐕🐕

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.