GRÁTIS!

Receita de biscoito natural de maça para cães...

Que tal mimar seu cão com este delicioso biscoito?
A receita é GRÁTIS, aproveite...

Raças de cachorros – Pug

Para quem busca por raças de cachorros que sejam verdadeiramente companheiras, amigáveis e fieis, o Pug é, com certeza, uma boa escolha. Esse pequenino tem se tornado um queridinho dos brasileiros, e não é para menos!

Esse cachorro é um dos mais adoráveis, e por isso é uma escolha fácil para quem tem crianças, para casais recém-casados que querem completar a família com um pet, e para quem mora só. São fieis escudeiros, muito companheiros além de serem verdadeiras fofuras.

Mas, antes de obter o seu próprio Pug é importante que você entenda melhor como essa raça “funciona”. Quais são as especificidades de sua criação? Como é o temperamento geral do Pug? De onde surgiu essa raça? Pug tem problema respiratório?

Trouxemos um conteúdo completo com explicações claras sobre esse animal, e vamos lhe ajudar a entender absolutamente tudo sobre o seu peludo. Descubra como proporcionar uma vida tranquila e cheia de experiências positivas ao seu cachorrinho conhecendo um pouco mais sobre o Pug.

Pug: de onde veio essa raça curiosa?

Pug

Quando você vê um Pug por aí nem imagina que originalmente essa raça atravessou o globo terrestre para chegar aqui. Literalmente! Isso porque a sua origem se dá na antiga China, ainda no período antes de Cristo.

Essa era uma raça considerada nobre, que pertencia aos grandes imperadores desse país milenar. Mas a nobreza do Pug não parou pela Ásia. Na verdade, a raça ficou realmente famosa quando chegou à Europa.

Os Holandeses foram os primeiros a apresentar o Pug para outras nações, e logo esses pequeninos de olhos esbugalhados se tornaram os queridinhos da monarquia inglesa. Daí em diante o futuro do Pug estava traçado, e a tendência se cumpriu: tornou-se uma das raças mais queridas do mundo.

Características da raça – Como o Pug se comporta?

Sobre o comportamento do Pug, o que podemos dizer logo a princípio é: amável! Essa é uma raça realmente muito dócil, muito gentil, e que é o cachorro perfeito para fazer companhia para crianças, adultos ou até mesmo idosos.

O Pug se mostra muito fiel ao seu dono, e tende a ter um apego especial por um dos moradores da casa. E quando isso acontece, ele vira um verdadeiro papagaio de pirata, e não desgruda um segundo da pessoa quando essa estiver em casa.


Dito isso podemos aproveitar para lembrar que esse animal precisa de atenção. Os Pugs ficam bem sozinhos durante o dia, e podem conviver com pessoas cheias de obrigações. Mas é importante reservar ao menos um pequeno período para dar atenção ao seu animal.

Ansiedade de separação:

Uma das coisas que pode acontecer quando o Pug passa muito tempo sozinho é a ansiedade de separação. Nesse quadro, o cachorro demonstra uma grande agitação ou uma apatia total no momento em que você sai de casa. E isso perdura por todo o período em que ele passar sem você.

Ao identificar esse comportamento é importante buscar ajuda de um especialista para lidar. Uma das dicas que podemos antecipar é que você não deve fazer de sua saída um “Grande evento”.

Tente ser discreto, “ignore” o cachorro por uns 15 minutos, saia sem se despedir. Se ele perceber que você está sofrendo por deixa-lo, poderá sentir ainda mais essa ausência.

Pelagem do animal – existem diferentes “modelos” de Pugs?

Pug

O Pug é encontrado especialmente na cor preta e em variações bege, sendo que as orelhas são sempre mais escuras. No entanto, é possível também encontrar raros exemplares de pratas, brancos, chocolates, tigrados e albinos.

Cuidados com o Pug:

Como você já deve ter percebido, esse animal aparenta estar sempre arfante, e parece cansado. O Pug não é um cachorro esportivo, e não tem grande resistência respiratória e física!

Apesar de ser um animal ótimo para convívio com crianças, ele pode não ter energia para correr e brincar demais, e isso deve ser respeitado. Além disso, deve-se prestar atenção extra com relação aos olhos do Pug, que por serem mais protuberantes podem ser feridos facilmente.

O mesmo podemos dizer de seu rabinho retorcido. Os Pugs têm maior sensibilidade na cauda do que as demais raças, então um pequeno puxão poderá causar um grande desconforto no animal.

Veja também: Alimentação Natural para Cães (AN) – Você conhece? Saiba Mais sobre o Assunto

Latido:

Se você é uma mamãe ou um papai de primeira viagem de um Pug, logo vai perceber que ele parece emitir “grunhidos”. Isso é basicamente o seu latido, que mais parece com uma respiração pesada.

O latido mais claro e estridente como estamos acostumados é muito raro, mas pode acontecer quando o Pug está muito excitado e feliz, ou quando quer se comunicar com o dono.

Meu Pug destrói tudo – e agora?

Pug

Embora essa seja uma das raças de cachorros que apresenta o melhor comportamento, o Pug pode, sim, ser destruidor. Isso é mais comum na infância, quando os filhotes demonstram grande energia e capacidade devoradora de chinelos e outras coisas.

Mas caso o seu Pug adulto também apresente esse tipo de comportamento, você pode buscar ajuda de um adestrador para conseguir contornar a situação.

Passeios:

Uma das alternativas é levar o seu animal para caminhar e gastar energia para que ele fique menos estressado, e consequentemente menos bagunceiro. Mas lembre-se sempre que o Pug não é um cachorro esportivo.

Não adianta tentar correr a maratona com o seu cachorro. Ele vai se cansar logo, por isso os passeios devem ser diários, mas curtos e tranquilos. Não é uma boa ideia expor o Pug a condições físicas extremas.

Posso criar um Pug no quintal?

Pug

O ideal é que essa raça de cachorro seja criada dentro de casa. O Pug não reage bem às mudanças climáticas, e pode sentir muito frio – inclusive, tenha roupinhas para aquecer o seu animal!

Banhos:

Com relação ao banho, devido à pelagem curta, esse animal não é difícil de ter sua higiene controlada. O banho não precisa ser muito frequente, sendo ideal um espaçamento de 15 dias entre um e outro.

No mais, com certeza você não terá dificuldades para cuidar de seu Pug! Amor, carinho e cuidados médicos são algumas das exigências desse animal. Mas afinal, quem é que também não quer isso?

e-book cachorro saudável

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.

Este site usa cookies e outras tecnologias similares para lembrar e entender como você usa nosso site, analisar seu uso de nossos produtos e serviços, ajudar com nossos esforços de marketing e fornecer conteúdo de terceiros. Leia mais em Política de Cookies e Privacidade.